GÂMBIA: O comércio e os empregos

“Desde que comecei a cultivar caju realizei vários potenciais... Ou seja, o meu trabalho assegura o meu sustento e o da minha família e permite manter o nosso nível de vida... o meu sonho é que os produtores de caju tenham acesso a máquinas de transformação e a mercados viáveis.”

Alhagi lidera a Associação Nacional de Agricultores de Caju, impulsionada por 5500 membros que trabalham em conjunto com o apoio do QIR e do CCI para promover a produção de caju ao nível nacional. Graças a este apoio, o caju está a tornar-se competitivo com vista a aumentar as vendas entre 5% e 10% e as poupanças dos agricultores (como Alhagi) de 100 dalasi da Gâmbia (3 dólares) para 1000 dalasi da Gâmbia (30 dólares).